quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Frente Nacional sobre Drogas, da qual o CFESS participa, lança abaixo-assinado.

mais
(Arte: Rafael Werkema)

Após a criação da Frente Nacional de Entidades pela Cidadania, Dignidade e Direitos Humanos na Política Nacional sobre Drogas no início de fevereiro, a coordenação do movimento, da qual o CFESS é membro, se reuniu no dia 11 de fevereiro em Brasília (DF) e lançou um abaixo assinado "por uma política inclusiva sobre drogas". (Clique para assinar)

Dirigido à presidente Dilma Roussef, a petição reivindica "o amplo debate com a sociedade civil, pela criação de uma política sobre drogas inclusiva e integral, que respeite as deliberações das Conferências Nacionais, orientada pelos princípios da luta antimanicomial, na perspectiva da redução de danos e pela garantia dos direitos humanos".

O texto continua, afirmando que os signatários "repudiam as internações compulsórias e involuntárias, que ensejam ações higienistas, policialescas e criminalizadoras, que têm caracterizado as intervenções de diversos governos municipais e estaduais contra as populações fragilizadas; reafirmam as recomendações da 14ª Conferência de Saúde e da 4ª Conferência de Saúde Mental, que vetaram a inclusão das Comunidades Terapêuticas como equipamento do SUS e, por isso, recusam o teor das portarias nº 3.088 de 23 de dezembro de 2011, nº 131 de 26 de janeiro de 2012 do Ministério da Saúde e do edital de chamamento público nº 2 de 26 de janeiro de 2012, que desrespeitam as decisões democráticas desses fóruns".

Além disso, como destaca a conselheira do CFESS Ramona Carlos, que representou o Conselho na reunião, outros encaminhamentos foram definidos. "Decidiu-se pela criação do Dia Nacional de Luta pela Cidadania, Dignidade e Direitos Humanos na Política Nacional sobre Drogas, em 2 de maio, quando a Frente planeja a realização de atividades culturais e audiências públicas em todo o Brasil", relata a conselheira.
Nessa mesma data, a Coordenação da Frente redefiniu o nome do movimento, a fim de facilitar a divulgação do mesmo, criando-se a nomenclatura de Frente Nacional Sobre Drogas e Direitos Humanos (FNDDH).

A ideia agora, segundo Ramona Carlos, é agendar uma reunião com a própria presidente Dilma, para pautar a temática e apresentar as reivindicações da Frente. "As entidades também trabalharão para agregar mais parceiros a essa luta, além de promover a realização de audiências com diferentes setores e a criação de um blog do movimento", finalizou. A Frente planeja ainda debater o assunto com os Ministérios  da Saúde, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e da Justiça.

A próxima reunião da coordenação da Frente Nacional ocorrerá em São Paulo (SP), no dia 8 de março, seguido do encontro de todos/as os/as componentes do movimento, no dia 9. Durante os dois dias, a coordenação planejará as atividades do dia nacional de luta.
A data do encontro no dia 8 se deveu à ocorrência do ato "Ocupe a Alesp", promovido pela Frente Nacional de luta antimanicomial. O objetivo do ato é promover a criação de uma Frente Parlamentar Antimanicomial.

Apoio dos CRESS é fundamental
A conselheira do CFESS reforça ainda que a participação e articulação dos CRESS e Seccionais será fundamental para o fortalecimento da luta encampada pelo FNDDH. Visando a ampliar e fortalecer esta rede, a Frente pede o apoio dos Conselhos Regionais, por serem entidades regionais que integram a Frente, para que convidem entidades e movimentos identificados com esta questão, tais como: movimento da população de rua, núcleos da luta antimanicomial, grupos/entidades da redução de danos, movimentos ligados à Marcha da maconha, à luta antiproibicionista, aos direitos humanos, à luta antiprisional, dentre outros, a compor o Fórum Estadual/Regional pela Cidadania, Dignidade e Direitos Humanos na Política Nacional sobre Drogas.

Clique e assine o abaixo-assinado "por uma política inclusiva sobre drogas"

E leia também:

CFESS passa a integrar a Frente Nacional de Entidades sobre Drogas

Racistas ucranianos rejeitam cantora de ascendência africana

Não é a primeira vez que acontece. Agora, é na Ucrânia que se levantam vozes de carácter racista, pelo fato de a representante do País no festival eurovisão da canção, não ser quimicamente pura.

Gaitante, a cantora em causa, é filha de um congolês e de uma ucraniana. Esta mistura nota-se na cor da pele e o partido nacionalista Svoboda preferia alguém mais eslavo, mais louro e de olho azul. Gaitante diz que não é ela a única atingida: “Isto não é apenas comigo, é com todas as pessoas do mundo que querem ser livres. É realmente uma vergonha que o Svoboda faça do racismo a sua ideologia. Eles têm má reputação na Ucrânia, na Europa e no resto do mundo”.

Uma das figuras maios populares da Ucrânia o antigo boxer Vitaly Klynchko já falou do assunto: “Isto começou por ser uma especulação, a nível nacional, com questões de linguagem. Eles não têm nenhuma perspectiva. Talvez queiram tirar dividendos políticos, mas não têm nenhuma perspectiva”.

Um porta-voz do Svoboda disse, entre outras coisas, que milhões de espectadores vão ver o espectáculo e reparar que a Ucrânia não é representada por “alguém da nossa raça” – a expressão é dele.

As organização anti-racistas já responderam. Na Ucrânia falta legislação que sancione dislates destes:
“Comparando com os outros países europeus, nós deviamos ter legislação que interditasse o uso do racismo e da xenofobia e que condenasse aqueles que querem desenvolver sentimentos dessa natureza na cultura e no povo. Deviam ser reponsabilizados pelas suas atitudes e palavras”.

http://pt.euronews.net/2012/02/23/racistas-ucranianos-rejeitam-cantora-de-ascendencia-africana/

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Vem ai o 1º Encontro de Serviço Social e Educação de SP



Vem ai o 1º Encontro de Serviço Social e Educação de SP

DIAS 30 E 31/03/2012 - SÃO PAULO/SP (CAPITAL)

Visando ampliar e aprofundar o debate acerca da contribuição do Serviço Social na política de Educação, o conjunto Cfess/Cress deliberou no 40º Encontro Nacional CFESS/ CRESS realizado em Brasília (2011) pela realização de encontros, debates e seminários contemplando as principais discussões sobre o documento de “Subsídios para o Debate do Serviço Social na Educação a ser deliberado no 41º Encontro Nacional CFESS/ CRESS (2012) na cidade de Palmas/TO.
Assim, o CRESS/SP organizará no mês de março/2012 o I ENCONTRO ESTADUAL DE SERVIÇO SOCIAL NA ÁREA DA EDUCAÇÃO. Este espaço terá como objetivo mobilizar a discussão referente ao Serviço Social no âmbito da Política de Educação refletindo sobre o Documento elaborado pelo CFESS/GT Educação (Subsídios para o debate Serviço Social na Educação), além de produzir sitematizações e informações referentes à produção cientifica, grupos de estudos e pesquisas, pesquisadores e profissionais/Assistentes Sociais que discutem e/ou atuam na área da educação no Estado de São Paulo.
Tal atividade esta prevista para os dias 30/03/2012 (noite) e 31/03/2012 (manhã/tarde). A perspectiva é envolver 200 (duzentos) participantes, sendo Assistentes Sociais, pesquisadores, estudantes e convidados.
AS INSCRIÇÕES E MAIORES INFORMAÇÕES SERÃO DISPONIBILIZADAS EM BREVE!
________________________________
LEIA MAIS:
Subsídios para o debate
Em dezembro de 2011, foi publicado no site do CFESS o documento "Subsídios para o Debate sobre Serviço Social na Educação", elaborado pelo Grupo de Trabalho (GT) sobre o tema com contribuições dos CRESS e com a assessoria do professor Ney Luiz Teixeira. O intuito do documento é o de contribuir para o aprofundamento da reflexão sobre uma concepção de educação coerente com o projeto ético-político profissional que, por sua vez, oriente o debate das particularidades do trabalho do/a assistente social na política de Educação. "É fundamental que a categoria leia o material e discuta sobre ele", diz a conselheira do CFESS Rosa Prédes. Outro documento que serve de "aquecimento" para os debates no Seminário é a cartilha "Serviço Social na Educação", de 2001.
PARA LER
 

6º Congresso Mundia de Juventude


O que é o Congresso Mundial da Juventude (WYC)?

WYC é um encontro bienal de jovens ativistas de todo o Mundo que pretendem promover a expansão do papel da juventude no desenvolvimento sustentável.

Quais são as metas e objectivos do CMJ?

O principal objetivo deste Congresso é continuar a explorar a questão central dos Congressos Mundiais da Juventude: “Qual o papel mais eficaz que os jovens podem desempenhar no que diz respeito à sustentabilidade e como conseguir que os Governos e as organizações de ajuda coloquem os Jovens no coração do desenvolvimento”. Isto é particularmente interessante na medida em que nos aproximamos do fim da era das Metas de Desenvolvimento do Milénio e os profissionais da área começam já a pensar o que substituirá estas Metas.

Pretende-se também reunir e construir laços de confiança entre jovens de diferentes nacionalidades, para que se inspirem e fortaleçam uns aos outros de forma a se envolverem em temas como a erradicação da pobreza, mudança climática, paz, democracia e direitos humanos. Alem disso o Congresso vai-se realizar logo antes da Rio+20 – Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, e este Congresso focar-se-á nas contribuições que os jovens podem fazer para construir uma economia verde.

Economia Verde?

A Economia Verde é definida pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente como sendo algo que “ ajuda a melhorar o bem estar humano e a igualdade social, ao mesmo tempo que reduz os riscos ambientais e a escassez ecológica”. Pensamos que é uma excelente definição de desenvolvimento que funciona tanto para as pessoas como para o meio -ambiente.

Quando se realizará o Congresso?

O Congresso terá lugar de 4 a 13 de Junho de 2012.

Não tenho disponibilidade nessas datas – posso chegar durante o Congresso?

Não podemos aceitar delegados/as que não possam estar presentes durante todo o evento. Se não puder chegar nem partir nas datas previstas, terás de arranjar o teu próprio alojamento no Rio de Janeiro. Podes ver uma lista de albergues para jovens com preços flexíveis aqui. 
Podes em todo o caso participar no Congresso Mundial da Juventude Virtual conectando-te a qualquer momento desde o teu computador.

Onde será realizado o Congresso?

O Congresso terá lugar num local adequado e seguro do Rio de Janeiro, a localização exata está neste momento sendo escolhida pela equipa nacional da organização.

Tenho que pagar alguma taxa de participação?

Não existe qualquer tipo de taxa a ser paga para participar neste evento. Se você for selecionado só terá que pagar a sua viagem até o Rio de Janeiro.

Que gastos estão cobertos pela organização durante o CMJ 2012?

Os gastos de alojamento e alimentação serão a cargo da organização durante o Congresso.

Vou precisar de visto?



Use este link para confirmar se precisas de visto para entrar no Brasil ou não. Se você precisar de visto, terá que pagar os gastos da tramitação. Visite a nossa página de angariação de fundos para encontrar algumas dicas de como angariar dinheiro.
Brevemente teremos mais informação sobre os vistos para o CMJ.

Porque o Congresso Mundial da Juventude é tão importante?

Porque é um encontro de Jovens Ativistas de todas as áreas, países, organizações, profissões e disciplinas. Para participar você não precisa pertencer a nenhuma categoria: basta ter experiência em fazer a diferença na sua comunidade.
Os Jovens Ativistas que participam do Congresso Mundial da Juventude são os lideres que incitam as pessoas de todo o mundo a lutar e a gritar por um século XXI sustentável. Algumas pessoas chamam este século de “o ultimo século”, porque gerações anteriores destruíram o meio-ambiente e esgotaram o recursos do planeta, e ainda que alguns peritos digam que é possível que o mundo permaneça habitável durante mais umas centenas de anos, o nosso trabalho, e o trabalho, dos Congressos Mundiais da Juventude é provar que estas pessoas estão redondamente enganadas!

Como participar?

A data limite para as inscrições internacionais é 16 de Janeiro de 2012. Os jovens delegados brasileiros podem-se inscrever até uma data ainda por definir em março. Para se inscrever siga este link para ter acesso ao formulário de inscrição.

Qual o significado de “jovem” e que idade tenho que ter para poder inscrever-me?

Os candidatos devem ter entre 18 e 30 anos cumpridos até o dia 1 de abril de 2012. Este limite de idade deve-se ao fato de não existir uma definição global de “jovem”, apesar das Nações Unidas definirem 25 anos como sendo a idade limite para um jovem. Contudo em alguns países ou continentes são considerados jovens os indivíduos até aos 30 ou 35 anos!

http://wycrio2012.org/?lang=pt

sábado, 18 de fevereiro de 2012

CURSO DE LIBRAS: INCLUSÃO VOCÊS FAZ PARTE

Como cidadão devemos enxergar as coisas além de nossos direitos. Desta forma devemos ter consciência de nossos deveres. E um deles e contribuir com a construção de uma nação mais justa e com igualdade de oportunidade.

Nosso primeiro passo e contribuir com a inclusão das diferentes formas, sejam elas sociais, gênero, sexualidade, raças, etnias e de deficientes.

Neste momento temos a oportunidade de fazer um curso e adentrar em mundo do qual não conhecemos e temos preconceitos com pré julgamentos.

O CAS/AC convida a todos e todas que tenham interesse em fazer o curso de libras.

Este  curso que é de extrema necessidade para todos, onde não serão apenas os familiares que se comunicaram com os surdos, serão profissionais das diferentes áreas e comunidade.





quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Democratização da meia entrada: Mentiras do Vereador do PT Gabriel Forneck



Foi apresentado pelo líder do prefeito e vereador do PT Gabriel Forneck um projeto de lei que visa aumentar o lucros dos empresários, destruir os movimentos culturais, desorganizar os estudantes e acima de tudo tentar amordaçar o movimento estudantil.

E inaceitável um vereador que afirma representar a juventude e por meio de uma campanha antecipada tenta enganar e iludir os estudantes com um discurso populista e demagogo “democratização da Meia Entrada” . Hoje não sabemos identificar realmente quem está do lado da juventude, pois no primeiro momento e oportuno somos golpeados.


As verdades sobre A proposta de alteração do Projeto de Lei (PL), da Meia Entrada.

1º A Meia Entrada hoje não contempla os estudantes.
R-  Tentam acusar as entidades do movimento estudantil de serem culpadas pelo não acesso a cultura, esporte e lazer. Porem e falta de politicas publicas para juventude onde são praças, quadras, segurança. De fato o que  faz com que nossos estudantes e jovem não tenham acesso a um direito que já estar garantido na constituição e a ausência do Executivo seja prefeitura e governo de Estado. Desta forma enquanto nossos governantes não assumirem a responsabilidade isso nunca se tornará realidade. Queremos escolas abertas nos finais de semana, quadras em nossos bairros e investimento na cultura

2º O Estudante de Baixa renda terá a democratização da meia entrada
R – Nossos estudantes de baixa ainda não tem acesso meia entrada não e devido a carteira de estudantes e sim por causa do elevado índice do desemprego, o  preço do transporte publico, a alto preço dos ingressos. Hoje o Estado não garante educação de qualidade.
 Não será o fim da carteira de estudante que irá solucionar
Queremos passe livre e emprego para a juventude

3º Concretizar a meia entrada
Hoje vivemos uma tentativa de golpe das empresas de festas onde criam diversas promoções para burla a lei de meia entrada estudantil sendo elas cliente de alguma operadora, criação de vales meia entrada, apresentação de algum documento para ter acesso a meia entrada e outros isso fazendo com que a meia entrada se torne mais cara ou muitas vezes não exista. Com este projeto estará assinando o fim da real meia entrada e não contribuindo, fortalecendo os empresários de festas. Quero direito de verdade, Meia entrada já
.
4º  O dinheiro arrecado pelas carteiras de estudantes servem para gerar lucro.
Existe máfia da carteira de estudantes, porem não podemos generalizar e acusar a UNE, UBES, nossos grêmios e DCE’s de ter as mesmas atitudes. A arrecadação feitas por estas entidades tem como objetivo financiar as entidades, como matéria de boas vindas, organizar torneios de esporte e outros. Queremos respeito as nossas entidades

5º Máfia das carteiras de Estudantes
Hoje e nosso Estado temos a CEA - Casa do Estudante uma entidade que faz parte desta máfia, pois não existe prestação de conta, não existe o distribuição da arrecadação para as entidades base. Isso e verdade.
Porem para que quer ajudar poderia procurar os órgão jurídicos.
Sabemos que a ideia não debater o movimento estudantil e tão pouco meia entrada

5º O dinheiro e para financiar os presidentes das entidades.
Nossas entidades necessitam de autonomia, desta forma não podemos permitir que vivam de financiamento publico pois desta forma estaremos servindo o interesses dos governantes e não dos estudantes. Não aceitaremos ser amordaçados iguais muitos movimento que foram combativos e hoje lambem a bota dos governos.
Não estamos a venda, Estamos na resistência.

6º Não devemos compra o direito da meia entrada.
Da mesma forma que os trabalhadores realizam as arrecadações sindicais para a manutenção da entidade, e isso não é compra direito e fortalecer a luta para se conquistar mais direito. Os Estudantes arrecadam com a taxa da carteira uma forma de manter as entidades representativa como grêmios e DCE’s. Queremos autonomia das entidades.

7º O projeto foi construído com os estudantes?
Não, pois o circulo de amizade do vereador não representar a classe estudantil e tão pouco a juventude de nossa cidade. Hoje temos Grêmio bastante atuante no Centro Jose Rodrigues Leite (não foi Consultado), Na baixada sobral Grêmio do EJORB(Não foi Consultado) , Próximo ao Tucumã Grêmio Colégio Armando Nogueira (Não Foi consultado), nas faculdades Diretório Acadêmico de Serviço Social, Centro Acadêmico de Ciências Contábeis e Educação Física ( Não Foram consultado) representando a juventude UJS ( não foi consultado) nem o conselho municipal de juventude do qual o vereador participou da fundação foi consultado.
VOCÊ FOI CONSULTADO???????????

AHAC EM NOVA SEDE

É com imenso prazer que a Associação de Homossexuais do Acre (AHAC),  inscrita no CNPJ Nº 08.611.314/0001-32 vem informar o endereço provisório de suas novas instalações, situada no Conjunto Santo Antônio, Quadra 10, Casa 02, Tancredo Neves, Fone (68) 9958-3297 (VIVO), (68) 8124-1191 (TIM). Endereço eletrônico: ahaccentrolgbt@gmail.com ou na comunidade no Facebook: Associação de Homossexuais do Acre (AHAC).

A instituição e habilitada a fornecer orientações gerais sobre direitos humanos a todas as vítimas de violações, bem como prestar atendimento a vitimas de discriminação e violência homofóbica, exercendo o importante papel articulador de serviços em organismos governamentais e não governamentais que integram a Rede de atendimento, sendo o acesso natural a esses serviços para as populações LGBT, principalmente em situação de vulnerabilidade social, em função da discriminação e da violência por discriminação homofobica.

Contamos com a parceria de diversos profissionais voluntários ao movimento social LGBT e o apoio de organizações de luta, defesa e promoção da cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Acre, como a Entidade Lésbica do Estado do Acre (ELA), do Grupo Diversidade Pela Cidadania LGBT (GDAC), da Liga de Quadrilhas Juninas do Acre (LIQUAJAC), da Associação de Mulheres Acreanas Revolucionárias (AMAR), do Grupo Primavera da Cidadania LGBT (PRIMAGAY) e da Associação de Travestis do Acre (ATRAC).

 O Que é AHAC?

A AHAC – Associação de Homossexuais do Acre é uma sociedade civil, sem fins lucrativos. Fundada em 29 de junho de 2002, é a entidade de trabalho pela defesa, luta e promoção da cidadania de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) pioneira no Estado do Acre.

A AHAC e associada à Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis (ABGLT).

HISTORIA

            Firmando-se como uma organização de referência no Estado do Acre, a AHAC tem promovido inúmeros eventos e campanhas cujos focos são a conquista do respeito à livre orientação sexual:

§  Organizadora das Paradas do Orgulho LGBT e Simpatizantes do Estado do Acre.
§  Apoiadora e propositora na realização da “SEMANA DA DIVERSIDADE DO ESTADO DO ACRE”.
§  Norteadora de políticas públicas para LGBT em órgãos Estaduais, Municipais e outras entidades civis organizadas.
§  Propositora nos espaços legislativos (Assembléia Legislativa do Estado do Acre e Câmaras Municipais), sensibilizadora para projetos de Lei que possam coibir qualquer manifestação homofobica nas legislaturas.
§  Idealizadora do Centro de Referência LGBT do Acre, de atendimento especializado a vitimas de violência por homofobia, em parceria com o Governo do Estado do Acre.

#ESTATUTODAJUVENTUDEJA! ESTUDANTES NA APROVAÇÃO DO MARCO HISTÓRICO


Hoje, quarta-feira (15) será um dia de grande mobilização e resistência da juventude brasileira pela aprovação do projeto de lei da Câmara (PLC98/11) que institui o Estatuto da Juventude. A pauta será o primeiro item durante a reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que colocará em discussão o texto que está em tramitação há quatro meses, na expectativa de que o texto que seja votado.
O relator, Randolfe Rodrigues, decidiu manter o relatório entregue em dezembro de 2011, no qual vota pela aprovação do texto oriundo da Câmara, com sete emendas próprias e mais quatro emendas dos senadores Aloysio Nunes (PSDB-SP) e Flexa Ribeiro (PSDB-PA). Ao todo, o relator rejeitou nove emendas ao projeto – quatro de Aloysio Nunes; duas de Álvaro Dias (PSDB-PR); duas de Renan Calheiros (PMDB-AL) e uma de Clésio Andrade (PR-MG) -, além de duas subemendas de Aloysio Nunes
AVANÇO SEM PRECEDENTES
A aprovação do Estatuto da Juventude, sem dúvidas, já é um grande marco no que diz respeito às políticas públicas de juventude; sua aprovação significará um avanço sem precedentes por contemplar bandeiras históricas do Movimento Estudantil no Brasil. A UBES defende no documento, entre outros pontos, a garantia da meia-entrada para os estudantes em eventos artísticos e culturais de entretenimento e de lazer em todo o território nacional; mínimo de 30% dos recursos do Fundo Nacional de Cultura, destinados preferencialmente a programas e projetos culturais voltados aos jovens, além do desconto de 50% nos transportes intermunicipais e interestaduais em todo território brasileiro.
#ESTATUTODAJUVENTUDEJA
Com o objetivo de mobilizar e pressionar os parlamentares a aprovarem imediatamente o Estatuto da Juventude,  a UNE e a UBES convocam todos os estudantes e a sociedade civil a participarem na próxima quarta-feira, 15 de fevereiro, do tuitaço #EstatutodaJuventudeJa a partir das 13h (no horário de Brasília).
Nesta última quarta-feira, a hashtag #EstatutodaJuventude ficou em segundo lugar nos Trendings Topics (TT’s) Brasil da rede social Twitter, sendo um dos assuntos mais comentados do microblog. O tuitaço foi convocado pelas entidades estudantis e movimentos de juventude. A mobilização deu certo, levando para todos os cantos do país a mensagem da manifestação.
Não deixe de enviar uma mensagem eletrônica para o Senador ou Senadora do seu estado. Para facilitar, abaixo as redes dos 46 membros – 23 titulares – da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania têm perfil no Twitter. Confira os perfis e as páginas virtuais dos membros da CCJ:
• Senador Eunício Oliveira (Presidente) - @euniciosenador
 Senador José Pimentel (Vice-Presidente) - @jose_pimentel 
 Senadora Marta Suplicy - @martasenadora 
 Senador Pedro Taques - @pedrotaques123 
• Senador Jorge Viana - @ligadonojv 
• Senador Antonio Carlos Valadares - @valadarespsb 
• Senador Inácio Arruda - @inacioarruda 
• Senador Marcelo Crivella @mcrivella 
• Senador Eduardo Suplicy - @esuplicy 
• Senadora Ana Rita - @anarita_pt 
• Senador Anibal Diniz - @13Anibal 
• SenadorAcir Gurgacz - @acirgurgacz 
• Senador Lindbergh Farias - @lindberghfarias 
• Senador Rodrigo Rollemberg - @rollembergpsb
• Senador Humberto Costa - @humbertocostapt 
• Senador Pedro Simon - @simonimprensa 
 Senador Romero Jucá @senromerojuca 
• Senador Vital do Rêgo - @senadorvital 
• Senador Renan Calheiros - @renan_calheiros 
• Senador Luiz Henrique @lhs155 
Senador Sérgio Petecão @senadorpetecao
Senador Roberto Requião - @requiaopmdb 
Senador Valdir Raupp - @senadorraupp 
Senador Eduardo Braga - @eduardobraga_am 
Senador Ricardo Ferraço - @ricardoferraco 
Senador Lobão Filho - @Lobaopmdb
Senador Waldemir Moka - @moka_senador 
Senador Benedito de Lira - @benedito111 
Senador Lauro Antonio - @lauroantoniose 
Senador Aécio Neves - @aecioPSDB 
Senador Aloysio Nunes Ferreira @aloysio_nunes 
Senador Alvaro Dias - @alvarodias 
Senador Demóstenes Torres - @demostenes_go 
Senadora Lúcia Vânia - @lucia_vania 
Senador Flexa Ribeiro @senadorflexa 
Senador Cícero Lucena - @cicerolucena 
Senador José Agripino - @joseagripino
Senador Armando Monteiro - @armandoptb 
Senador Gim Argello - @gim_argello
Senador Ciro Nogueira - @ciro_nogueira
Senador Mozarildo Cavalcanti - @senmozarildo 
Senador Magno Malta - @magnomalta45
Senador Clésio Andrade - @clesioandrade
Leia o Projeto do Estatuto da Juventude que está sendo analisado pela CCJ