Araguaia 41 anos, um marco da resistência comunista


Renato: Araguaia 41 anos, um marco da resistência comunista

Nesta sexta-feira (12) completam-se 41 anos do início dos combates entre a repressão e a Guerrilha do Araguaia. O Exército tomou de assalto a região do baixo Araguaia, fazendo de Marabá e Xambioá suas cidades-quartéis. A "ocupação" da área tinha um único objetivo: aniquilar o incipiente movimento de resistência que vinha sendo construído na região por militantes do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). 

Para lembrar a data e o que ela representa para os comunistas de hoje, o presidente do PCdoB, Renato Rabelo, falou com o jornalista Gustavo Alves e dedicou o programa Palavra do Presidente, da Rádio Vermelho, aos que tombaram lutando por liberdade e democracia.

Ao longo de sua fala, o dirigente comunista lembrou que "a Guerrilha do Araguaia foi um episódio de resistência que adquiriu uma grande importância, uma luta popular que mobilizou brasileiros e brasileiras contra a repressão. A Guerrilha se inscreve na trajetória das lutas populares de grande dimensão do país. As Forças Armadas, para combatê-la, tiveram de empregar um efetivo de mais de 12 mil homens e, entre estes, forças especiais e de elite". 

Renato lembrou que esse importante episódio, dirigido pelo PCdoB, buscava somente um objetivo: restabelecer a democracia, a liberdade e os direitos do povo. "A Guerrilha é um episódio que hoje pertence ao povo brasileiro, ao elenco de suas lutas, mas a coragem política do PCdoB, de recorrer a esse tipo de forma de luta num momento tão difícil, não pode deixar de ser considerada".


CONVERSATION

0 comentários: